quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

P581: A LIÇÃO DO FOGO


Na sequência do nosso convívio de 31 de Outubro, recebemos do nosso camarigo José Luís Malaquias palavras de apreço pela nossa Tabanca do Centro, a que acrescentou ainda um ficheiro Powerpoint intitulado “A lição do fogo”.


Aqui fica o texto deste nosso camarada:

“Caros Camarigos Manuel Reis, Joaquim Mexia Alves e Miguel Pessoa,
Reencaminho um correio que hoje recebi dum Amigo e que acho que se adapta àquilo que sinto ao ir aos encontros da Tabanca do Centro. Tirando o Carlos Prata e o Manuel Reis, não encontro lá ninguém conhecido, como era minha expectativa quando decidi aceder ao convite deste último para participar nos encontros da Tabanca. Todavia, começo a sentir que me faz bem ir, para conversar com os que têm um passado comum em determinada altura da sua juventude, cheia de energia e dádiva ao próximo…
É isto que vos queria dizer e que, em meu nome, agradeço terem criado a Tabanca e continuarem a alimentar a sua chama! Bem hajam!
Um abraço,
José Luís Malaquias
(do trio de Aveiro!)”


Na impossibilidade de reproduzirmos no blogue o ficheiro que acompanhava este mail - porque para tal não chegam os nossos conhecimentos informáticos… - com algum trabalho preparámos o slideshow que se segue, que reproduz muito razoavelmente o que é apresentado naquele powerpoint.

Pensamos que o seu conteúdo vem ao encontro da ideia que presidiu à formação da nossa Tabanca do Centro, como bem refere o José Luís Malaquias, por isso aqui fica.

A Tabanca do Centro



2 comentários:

Joseph disse...

As lareiras säo parte central d'estes infindáveis Invernos de nove mêses.
Muito tempo se leva olhando as chamas envolvidos em memórias cada vez mais distantes.
Näo será fácil vir a esquecer este bonito texto.
Um grande abraco do José Belo.

Anónimo disse...

Simplesmente belo, este texto.
Por vezes o fogo com as suas labaredas é horrível em determinadas circunstâncias, mas observado à beira de uma lareira, transmite uma paz,um calor especial para quantos se reúnem em seu redor!.. Um abraço. Mª Arminda