terça-feira, 11 de outubro de 2011

P137: JERO - "ALCOBAÇA É COMIGO"

LANÇAMENTO DO LIVRO “ALCOBAÇA É COMIGO”, DE JOSÉ EDUARDO REIS DE OLIVEIRA


No passado domingo 9 de Outubro foi apresentado no Parlatório do Parque dos Monges o livro “Alcobaça é comigo” do nosso camarada José Eduardo Reis de Oliveira, mais conhecido por JERO.
O Parque dos Monges - onde decorreu o lançamento – fica nos arredores de Alcobaça, num lugar chamado Chiqueda. É lindíssimo e digno de uma visita. Ou não tivesse sido este o local escolhido pelo JERO para receber os seus amigos...
Foi uma tarde de amizade pura, testemunhada por familiares e amigos, e também por camaradas da C.Caç. 675 (Guiné 1964-66) – Ten.General Tomé Pinto, ex-Tenente Mil. Belmiro Tavares (tertuliano do blogue Luis Graça e Camaradas da Guiné).e pela irmã e sobrinho do ex-Furriel Mil.Álvaro Mesquita, morto em combate em 28 de Dezembro de 1964, que se deslocaram expressamente de Vila Nova de Famalicão.

Os camaradas da Guiné estiveram ainda representados pela Giselda e Miguel Pessoa, Belarmino Sardinha e sua mulher Antonieta e ainda António Paiva (HM 241-Bissau). Outros não puderam estar presentes, por afazeres pessoais ou problemas de saúde.

O autor é bem conhecido entre os combatentes da Guiné que seguem os blogues da Tabanca Grande e Tabanca do Centro e tem oferecido naqueles espaços textos de grande qualidade. A sua experiência como director-adjunto e redactor do periódico “Alcoa” (quinzenário de Alcobaça) e o seu conhecimento das “gentes da terra” terão certamente contribuído para o interesse que estes contos irão agora despertar no leitor. 

Ainda nos preliminares da apresentação, o JERO conversa com o Belarmino e o Padre Carlos Jorge

E se se pode pensar que as trinta histórias agora apresentadas se dirigem a um público específico, poderemos nós acrescentar que há temas que são universais e que no caso presente permitem compreender a maneira de pensar, proceder e estar na vida, das gerações que antecederam a nossa e que influenciaram fortemente a forma como veio a ser moldada a geração que nos anos ’60 e ’70 sofreu e ultrapassou as agruras de uma guerra que não tinha procurado mas que alterou profundamente o percurso pessoal e profissional de muitos de nós.


 O painel de apresentação era constituído por três conhecidas personalidades da terra - Padre Carlos Jorge (da paróquia de Alcobaça), Drª. Madalena Tavares (técnica superior da C.M.Alcobaça) e Dr. Carlos Gomes (da Associação de Amigos do Mosteiro de Alcobaça) - .o que se entende, dado que o livro agora lançado (a terceira obra por ele produzida)  se debruça sobre histórias passadas na região e transmitidas de boca em boca ao longo dos anos – como refere o autor “um século e tal de histórias e historietas de gentes da minha terra” – o que explica o interesse que pode despoletar entre os alcobacenses.
Isso mesmo reflecte-se nas palavras introdutórias da Drª Madalena Tavares, que se congratulou com esta tarde de convívio entre amigos que assinala  o aparecimento de um livro que é um tributo à história local e à tradição oral, ao transcrever e fixar no papel as pequenas histórias que ao longo dos tempos têm passado de boca em boca.

 
O autor com o Padre Carlos Jorge, que prefaciou o livro

Por sua vez o Padre Carlos Jorge – que assinou o prefácio da obra – referiu a importância de revisitar o passado “transportando-o até ao presente para que abrace o hoje”, através de alguém que ama a terra que o viu nascer e que soube construir estes contos com base na vivência do dia-a-dia com aqueles que contam e vivem os episódios à volta da gente da terra, preservando assim memórias que se perderiam no tempo se não fossem registadas em livro.

 Aspecto da assistência. Dos camaradas da Guiné, a Giselda Pessoa ladeada pelo Belarmino Sardinha e a esposa Antonieta. 

  Aspecto geral da assistência. Uma sala bem preenchida, atestando o apreço dos presentes por um dos seus.
O título que o autor escolheu revela a sua paixão por Alcobaça e o seu empenhamento na preservação do património cultural, da memória e identidade da cidade. Pelos presentes foi também realçado o seu sentido de humor, o seu apreço pela vida, pela família e pelos amigos, o que se reflecte nas histórias que conta.

Entre a assistência destaque-se a presença do Ten.General Tomé Pinto, antigo Comandante de Companhia do JERO no teatro de operações da Guiné, que teceu louvores à generosidade e permanente disponibilidade do então Fur.Mil.Enf. Oliveira no desempenho das suas funções.  
Dois camaradas da Guiné (António Paiva e Belarmino Sardinha) na fila para o autógrafo do JERO

A obra poderá não ficar por aqui. É ideia geral que o autor tem um manancial de novos contos para passar ao papel, o que justificaria a edição de novos volumes. Realce-se ainda que, segundo a Drª Madalena Tavares, esta obra vai ser proposta como candidata ao Prémio da BAD-Centro. Trata-se de um Concurso que vai ser lançado em Janeiro de 2012 pela Associação dos Bibliotecários e Arquivistas do Centro como forma de reconhecimento dos trabalhos/projectos desenvolvidos no âmbito da História Local dos Municípios do Centro.

 O JERO em plena sessão de autógrafos...

As memórias não são fotografias de acontecimentos, são interpretações muito pessoais de quem as vive e que têm por isso muito de cada um que as conta. O tom sério e o humor alternam-se ou misturam-se nas histórias aqui contadas, as quais são uma homenagem singela a figuras de Alcobaça, muitas delas já desaparecidas.
Esperamos que essas narrativas possam agora proporcionar aos seus leitores bons momentos de prazer. Esse foi certamente o propósito do nosso camarada JERO ao publicar esta sua nova obra.

                                                                                                                                       Miguel Pessoa







5 comentários:

J.Belo disse...

Meu Caríssimo Amigo Jero. Haverá locais(e momentos)onde tenho pena de... näo ter estado.A apresentacäo do teu interessante livro é,sem dúvida,um deles. Um grande abraco.

Anónimo disse...

Grande Jero

Inteiramente de acordo com o nosso camarigo Zé Belo.
Na cama passei todo o fim de semana com arreliadora e forte constipação, da qual começo agora a sair ainda que lentamente.

Venho a este nosso espaço dar-te um grande abraço de parabéns e desejar-te os maiores sucessos literários, já que apenas a presença da tua pessoa, aconteça onde aconteça, é para todos um privilégio.

Com toda a Amizade e Respeito pelo JERO, "homem garandi" da nossa Tabanca do Centro, saúde e grandes cozidos,,,

Abraço amigo do,

Vasco A. R. da Gama

SMM disse...

também

Alcobaça TAMBÉM é comigo!, OU MELHOR, com os meus bisavós paternos!

Meu querido amigo:

Como se "arranja o dito cujo?"

José Marcelino Martins

Anónimo disse...

Fui induzido em erro, ao pensar que "ALCOBAÇA É COMIGO", seria um livro muito especial.

Já o comecei a ler. Daqui poder dizer que não é o "livro que esperava".

É MUITO MELHOR E MUITO MAIS QUE UM LIVRO. É UM REPOSITÓRIO DE MEMÓRIAS, NÃO DE UMA TERRA, MAS DE UM POVO.

Abraço fraterno

José Martins

Anónimo disse...

Ó senhor escritor, não havia uma esferográfica vermelha?

A escrever a amarelo!!!!

Já não há amor à caneta!