quarta-feira, 26 de outubro de 2011

P143: REVISTA "KARAS" DE OUTUBRO

Já está nas bancas, com fotos fresquinhas do almoço de 26 de Outubro!


13 comentários:

Anónimo disse...

Bom dia sr.Director Miguel Pessoa
Os meus parabens pela actualidade da publicação.Nem o "Correio da Manhã" anda tão em cima dos acontecimentos...
Tenho pena de ter chegado tarde e já não ter assistido à manifestação suina...mas para isso é que servem as revistas e jornais.
Muito bem metida e oportuna "a história da crise...".
Felizmente que o meu filho é advogado bem sucedido!!!
Mas como diz o outro...é a vida.
Parabens ao Miguem e mais uma vez um grande abraço de Alcobaça.
JERO
Tem tanto trabalho e mora tão longe que o pai, quando tem problemas, tem que recorrer
a causídicos que trabalhem por perto da sua residência pessoal.

Anónimo disse...

Devido a alguns "gatos" repito o comentário anterior.

Bom dia sr.Director Miguel Pessoa
Os meus parabens pela actualidade da publicação.Nem o "Correio da Manhã" anda tão em cima dos acontecimentos...
Tenho pena de ter chegado tarde e já não ter assistido à manifestação suina...mas para isso é que servem as revistas e jornais.
Muito bem metida e oportuna "a história da crise...".
Felizmente que o meu filho é advogado bem sucedido!!!
Tem tanto trabalho e mora tão longe que o pai, quando tem problemas, tem que recorrer
a causídicos que trabalhem por perto da sua residência pessoal.

Mas como diz o outro...é a vida.
Parabens ao Miguel e mais uma vez um grande abraço de Alcobaça.
JERO


27 de Outubro de 2011 09:52

Já está nas bancas, com fotos fresquinhas do almoço de 26 de Outubro!

[Image]
[Image]
[Image]publicada por Miguel às 23:04 a 26/Out/2011
Deixar o seu comentário

Tabanca do Centro disse...

"jantares anteriores"???

Oh Miguel, normalmente somos sempre os últimos a sair, mas saimos sempre antes do jantar!!!

No caso da crise o meu filho revelou-se melhor do que o pai, graças a Deus!

Um grande abraço para todos
Joaquim

Miguel disse...

Jantares?! Que é que querem? Já regresso a Lisboa de noite... É fácil confundir as refeições!... De qualquer modo o artigo já foi corrigido - nem se nota a costura...
Miguel

Anónimo disse...

Exmºs Senhores,

Se os comentários são fraquitos, titubeantes e um deles tem até de ser repetido, vá que não vá pois os efeitos do material líquido ingerido vai-se prolongando por mais algumas horas e são cada vez mais potenciados pelos anos que o pessoal vai acumulando pelo que oito horas após a sua ingestão os comentários ainda são feitos a quente!

Mas virem para aqui falar dos filhos advogados e gestores...só de "grandes músicos"!
Façam um conjunto e ponham o director da Karas de vocalista...E se não chegar a sua voz juntem-lha a do sr. Morais, assim se arranje microfone da sua altura!

E a que propósito o ferrete, o labéu, o estigma que o director da revista vem para aqui lançar sobre o país ao falar de crise.!!!!

A tal revisteca já tem nos seus quadros entendidos na matéria?
Onde é que sentiram a crise? Não estava a D. Preciosa cheia de tanta gente? Treinadores de futebol, combatentes da Guiné e outros "combatentes" garbosamente fardados...., povo anónimo que veio para nos ver...por favor dislates e despautérios deste tipo ferem um intelectual!

Tenha modos senhor director e contrate o sr. Rogério, o sr. Vara, o sr. Melancia e suba o nível, ou um dia destes acorda com grande melão e sem leitores para a revista!

Ponha o sr. Belo a escrever editoriais em luso-lapão-sueco que darão outro andamento á tal de "KARAS " e vai ver como aumenta o número de leituras, embora diminua o número de leitores, pois o luso-lapão anda a escrever para o arrevesado e até eu já tive de aumentar algumas páginas ao meu dicionário!

E as fotografias, meu Deus!

Fiquei pasmado pela sua falta de qualidade e por a mudança que se vai abatendo sobre essa Tabanca:

O Almirante, esverdeou
O Jero azulou e..."encostou"
A Giselda, fiel, avermelhou
E o cozido terminou!

Sejam justos e vejam se a minha brilhante recensão, modéstia à parte, está ou não nos "conformes".

Olhem que é para vosso bem!

Senhor D'A

Anónimo disse...

É a segunda vez na minha vida que me calha num almoço um intelectual pela frente.

O primeiro, (já há largos anos), na perspectiva de me causar qualquer receio, quissá, espanto ou admiração, disse-me na minha cara, (esta que a terra há-de comer), afirmando alto que eu não sabia com quem estava a falar, pois ele próprio, o meu interlocutor era, segundo ele próprio, um intelectual!!!
Pasme-se!!!

Vem agora um Senhor D'A, afirmar-se também por escrito, como detentor de tal "títalo", ou seja, um intelectual!!!

E depois, pasme-se mais uma vez, vem dar como referências um tal de Rogério, um tal de Vara e um tal de Melancia.

Isto apenas me faz lembrar que talvez um tal Rogério, tivesse uma Vara de porcos a quem dava de alimento Melancia. Será a isto que o Senhor D'A se refere???

Pode o tal primo do Fernando, o Pessoa, de seu nome Miguel, ficar descansado, pois que a sua revista Karas é apreciada nos mais elevados areópagos internacionais.

E ao tal intelectual Senhor D'A, devo informá-lo pata ter cuidado com as recenssões, não vá ser apanhado nalgum dislate pernicioso!

Disse!

Morais Alves

Miguel disse...

Resolvo relaxar um pouco dando uma vista de olhos aos comentários à última revista “Karas” e deparo com um texto avinagrado, assinado por um tal “D’A”. D’A quê? Lendo melhor o texto, vejo que só pode ser D’A maledicência, pois ao longo da lenga-lenga se adivinha um sujeito azedo, com raiva de tudo e todos…
Insinua o D’A que sou um arauto da desgraça, agitando o fantasma de uma crise que, no seu douto entender, apenas existe na minha imaginação. Pois deixe-me dar-lhe um conselho, Senhor D’A: Deixe de ver o Canal Panda. os “Morangos com Açúcar” e a “Casa dos Segredos” e debruce-se sobre a vida real, bem visível nas notícias divulgadas pelos órgãos de comunicação social…
V.Exª deita abaixo a qualidade das fotos apresentadas. Para isso também terá contribuído algum dos fotografados, quer na apresentação (lembro-me, por exemplo, do Almirante Vermelho envergando uma camisola desbotada que não fazia jus ao seu nome), quer no seu comportamento conflituoso resultante de um consumo exagerado de sumo (deixo ao critério dos leitores adivinhar de quê…).
E assume-se V.Exª como intelectual (com c, claro, pois certamente pertence àquele parque jurássico que parou no tempo, não aceitando a evolução natural dos tempos.
Numa coisa devo reconhecer que V.Exª terá alguma razão: Tenho por vezes dificuldade em compreender as comunicações do Zé Lapão. Mas reconheço que dois factores poderão contribuir para isso: Por um lado, a dificuldade de escrever um português claro com um computador que não dispõe do til e da cedilha, fundamentais para uma escrita clara da nossa língua; por outro lado, as dificuldades naturais de quem está afastado do país há longos anos e tem como referência principal os textos execráveis que V.Exª lhe vai fazendo chegar. Bom, isso quando o consegue fazer, pois o dito lapão é das personagens mais escorregadias que eu conheço, dispondo de um computador encriptado que rejeita qualquer contacto – mais parecendo uma daquelas máquinas “Enigma” da 2ª Guerra Mundial.
E por agora me fico.
D´Karas

J.Belo disse...

Para já,um esclarecimento da maior importância quanto à "re-puta-bilidade" do meu computador Lapäo.Ele näo tem estado "encriptado" mas simplesmente..."esquentado". Aguentem lá os cavalos!Esquentado, na linguagem da técnica complicada de "com-putar".Ou seja...com-puta a mais.(Ou isto por aqui näo fosse a Suécia!).Quanto à qualidade,e nível(?),dos textos que um tal D'A vai enviando para aqui(para mais, discretamente metidos em envelopes castanhos,como os de "certas revistas" dos anos sessenta,vendidas por de baixo do balcäo)será melhor näo se ventilar ,pois os traumas sofridos pelos jovens ingénuos, lá para os lados de Buarcos,quando tais revístas lhes eram vendidas(por bom dinheiro!),e vinham a descobrir, já em casa(para onde desde logo corriam),que dentro dos envelopes estava a....Revista Paroquial...justificará algumas das atitudes...menos compreensíveis,por parte do SenhorD'A. Quanto à crítica da morada dos -mails aí tenho que (humildemente como sempre!)aceitar.Mas tudo terá a ver com uns galdérios e galdérias, esquerdalhas, que decidiram uma voluntariosa proclamacäo da República Livre da Lapónia Lusitana.(Excms.Senhores Juízes dos Conselhos Superiores de Disciplina do Exército:Eu näo tenho,(mais uma vez!),NADA a ver com isto!).Por aqui as parêdes näo säo muitas,e os muros practicamente näo existem,mas näo é que esta maralha decidiu comecar a pintar murais por toda a parte!? É claro que os nossos murais do PREC,principalmente os mais..."voltados ao Oriente"...tinham outra qualidade artística!Mas isso näo é para aqui chamado. Será antes assunto a debater com os meus Caros Amigos Graca de Abreu e Duräo Barroso.Mas este comentário já vai longo,e se repararem na hora do mesmo....está quase a ser altura de mugir as renas. ( O meu E-mail FUNCIONAL é josephbelo@gmail.com e a ligacäo à Lapónia-Lusitana-Livre é http://www.lapplandkeywest.com/ ). Um grande abraco em todas as direcöes.

J.Belo disse...

Lá tenho que voltar a incomodar "VOSSELÊNCIAS" mas....escrevi o meu E-mail errado!Em verdade ele é( josephbelo27@gmail.com )e o 27 é muito importante!Porquê? Porque faltam 42 para 69! E, 42 é 24 ao contrário.Ao dividir-se 24 por 4 obtem-se o numero 6,que em sueco se escreve..."sex", precisamente como se escreve a palavra"sexo".Estäo a acompanhar o raciocínio?É lógico,profundo,e acaba sempre por ir dar ao mesmo...ao importante!(espero que os Camaradas e Amigos compreendam as vantagens imediatas de me ter casado há décadas com uma médica psiquiátrica.Ou seja,uns bons descontozinhos no custo dos...electrochoques! Mas, mesmo muitos abracos em volta.

Joaquim Mexia Alves disse...

Oh Zé Belo

há uns anos atrás um cantor português cantava uma música mais ou menos assim:

«Não vás ao médico não, vais ver onde vais parar. Não te cuides não, depois não te venhas queixar»

Terá sido para ti que ele a compôs????

Grande abraço

Anónimo disse...

Camarigos,

O director da Karas gosta, eu já tinha desconfiado, de relaxar! Pois relaxe à sua vontade que a mim valores mais altos se alevantam e não alinho no seu clube de “relaxados”, antes pertenço a um grupo de vencedores, de veros combatentes e de bons comedores e bebedores, daqueles que não precisam de vinagre para coisa nenhuma.

Não o conheço mas pelo seu amor/desamor ao vinagre deve ser um desses magricelas que para manter a linha de pipi ingere esse produto de fermentação acética do vinho e de outras substâncias alcoólicas!

Não perco tempo com nenhum dos programas que o director, conhecedor profundo da programação televisiva, enumera, antes me mantenho informado da realidade seguindo com atenção redobrada o sr. Goucha e sua “partenaire” que com a sua estridente voz me faz lembrar a sirene da Lisnave, ouço com toda a atenção a senhora dona Júlia Pinheiro, outra guinchadora de relevo, e logo pela manhã sigo com toda atenção a senhora dona MAYA, essa conceituada astróloga e grande benfiquista que deita cartas e adivinha o futuro. Como vê, senhor director; para além de profundo conhecedor do presente, sei antecipadamente o que se vai passar! Quem é o ignorante, quem é?

Digo-lhe até que consulto uma Tabanca Maior do que aquela a que o senhor pertence para me preparar para o dia a dia na forma mais escorreita de lidar com a “entourage” de intelectuais que me rodeia mesmo quando se trata de análises profundas e polissémicas do órgão copulador masculino! ( Ai vais ao dicionário vais, ou então pergunta ao Morais).

No que às fotos diz respeito pelos vistos concorda comigo e se ler com atenção o meu texto lá vem : O Almirante Vermelho, que o senhor diz ter comportamento conflituoso, esverdeou! Eu, que também não conheço tal personagem, mas que deve pertencer à sua seita, estou de acordo com ele, face ao texto que o sr. Abreu China, outro intelectual de vulto, tão bem explanou sobre o Verde. Leia e aprenda senhor director, não se fique pelo insulto gratuito!

Da ofensa gratuita passa depois ao dissertar “atrevido”! Quer-me corrigir por eu ser um intelectual com “c”! Sou um intelectual com “c”sim senhor pois o acordo a que faz referência só entra em vigor em 2012, sabia senhor director? ( se quer aprender mais, pergunte ao Morais!).

Mas o pior está para vir! O homem, embalado nos dislates de grafia, morfologia e sintaxe chama a um grande administrador de um dos mais conceituados blogues da nossa estratosfera a “LAPPLAND KEY - WEST de Zé Lapão!!!! Mas que confiança é essa??? Será que andaram na mesma escola?

Mete-se com o til e com a cedilha de D. José e depois apelida-o de escorregadio! Só lhe faltou dizer que D. José é tão escorregadio como o tal polissémico analisado….
Espero que D. José, que ao que consta é amigo do senhor Obama e está de visita aos States, após ler este meu manifesto venha a terreiro defender a sua cedilha e o seu til e casque no director e no compincha, o tal Morais.

Tenha uma santa e feliz “noute” que agora me vou à deita!

Senhoria D'A

Anónimo disse...

Senhoria D'A :

Estou sem palavras, como sem palavras ficaram os seus detractores, face à sua eloquência....Se do director e do Morais, não esperava mais, admira-me o silêncio de D. José!Terá perdido qualidades com a proximidade de Obama?!

Seu admirador dedicado,

Almirante Vermelho.

Senhor de Morais disse...

Oh pá, isto agora complicou-se!!!

Temos aqui um nítido caso de desdobramento de personalidade!

O Senhor D’A já não se reconhece como Almirante Vermelho e a fase ilusória da doença já o leva a escrever a si próprio, auto-elogiando-se!!!

A coisa está mal!

Acho que já nem com uma sessão de Cozido à Portuguesa a coisa melhora.

Oh diabo, que aquela eloquência rima com “demência”!!!

Bem, compreende-se: o saber que a força do mar vai atacando o seu querido Buarcos, destruindo-lhe paredões e sabe-se lá mais o quê, teve um efeito devastador no seu equilíbrio e levou tão preclaro amigo a desdobrar-se em personalidades, (ainda falta o comandante de uma tal FRELIBU), já não sabendo quem na realidade é esse distinto atabancado ao Centro, que todos tanto prezamos!

Eu sabia que isto de ter vários pseudónimos não ia acabar bem!!!

Enfim, acredito que um almoço de Natal, na Tabanca do Centro, lá para o fim de Novembro, a coisa volte à normalidade.

Seu admirador preocupado

Senhor de Morais