quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

P756: VELHOS HÁBITOS

UMA VEZ MILITAR …

Fui militar durante 4 anos da minha vida (1962-1966).

Em conversa recente com um amigo lembrei-me - porque nunca o esqueci - de uma história, no mínimo invulgar, que me aconteceu na vida civil.

Passou-se no Verão de 1975 ou 1976. Estava na praia de S. Martinho do Porto, devidamente “equipado” para tomar banho.

Corria de calções junto ao mar quando vejo ao longe uma figura que me pareceu familiar.

O porte altivo e uma postura desenvolta lembravam-me o meu Comandante de Batalhão dos tempos da Guiné ! Aproximei-me e era mesmo ele.

De roupão de banho, descalço e com a toalha na mão ali estava o Coronel Fernando Cavaleiro.

Instintivamente pus-me em sentido e apresentei-me.

- O meu Coronel dá-me licença? Tive a honra de servir sob as suas ordens no Bat. 490. 

Estacou e ainda antes de me apertar a mão perguntou-me: - A que companhia pertencias?

Respondi de imediato: - À “675”, meu Coronel..

- À C.Caç. 675. Ah já sei. A do Tomé Pinto. Foi um grande oficial e teve uma Companhia das melhores.

Pus-me à vontade e tive direito ao seu aperto de mão. Caminhámos juntos algumas dezenas de metros.

Soube que tinha estado preso em Caxias durante 10 meses (nos tempos do PREC). Sem culpa formada e sem qualquer interrogatório.

Disse-o sem queixumes. Altivo e "teso" como sempre o tinha conhecido.

Despedi-me e regressei lentamente para junto da minha família. Contei-lhes o que se tinha passado. Tinha estado em "sentido" em calções de banho!

Tinha cumprido um ritual da vida militar... à civil.

Um ritual de que me orgulho e que recordo com saudade. Os valores do respeito, da dignidade e da honra estão cá… Uma vez militar… militar toda a vida!
JERO

Nota: Segundo o portal Ultramar Terraweb, Fernando Cavaleiro, de seu nome completo Fernando José Pereira Marques Cavaleiro, terá nascido em 1920.  Notabilizou-se sobretudo no T.O. da Guiné, onde esteve de 22 de julho de 1963 a 12 de agosto de 1965. Foi o comandante do BCav 490. Nessa qualidade comandou as forças terrestres da Op. Tridente, que decorreu na Ilha do Como entre 15 de janeiro e 23 de março de 1964. 

Foi agraciado com uma Medalha de Cruz de Guerra de 3ª classe (em 1964) e com uma Medalha de Cruz de Guerra de 1ª classe (em 1966), ambas por feitos em combate. Faleceu no dia 03 de Agosto de 2012 com 95 anos.

Sem comentários: