quinta-feira, 5 de junho de 2014

P501: DO MANUEL "KAMBUTA" LOPES




 HOJE, DIA 30 DE MAIO DE 2014, FOI DIA GRANDE PARA MIM E A MINHA HORTENSE,
FOI DIA DE CONVÍVIO DA TABANCA DO CENTRO

Quem pensa que o convívio da Tabanca do Centro é só na mesa da Pensão Montanha está enganado, o convívio torna-se uma pura família entre todos nós amigos, é como um carregar de baterias. Falo por mim e pela minha Hortense, que carregamos as nossas baterias para o mês inteiro até ao próximo convívio. Não sei como vai ser nos dois meses sem convívios, em Julho e Agosto, vai ser tristeza e mais tristeza!

Em boa hora o meu querido amigo Agostinho Gaspar me abriu o caminho para a Tabanca do Centro, quase me obrigou a ir com ele, andou e desandou até que me convenceu. Na primeira vez fui, como diziam os nossos antigos, como o cão pela trela; assim que entrei na esplanada do Café Central foi uma porta que se abriu para mim e para a minha Hortense; para nós foi como se tivéssemos estado metidos na noite escura e naquele momento passou de noite escura para um lindo dia de sol…


Falo assim porque infelizmente tenho motivos para isso, andávamos metidos num poço sem fundo… Só tenho a dizer, não sei como agradecer a esse pequenino de estatura mas gigante homem com H grande, esse irmão, camarada, bondoso Agostinho Gaspar… 

Tu sabes bem, amigo, já te expliquei, o que foste e tens sido assim como toda a família "tabanqueira" para mim e para a minha Hortense. Não lhes digo obrigado nem  agradeço, sabem bem porquê. Enquanto este convívio se organizar, eu e a minha Hortense estaremos lá, seja de que maneira for, passou a fazer parte da nossa vida este convívio familiar… Resumindo, falta muito para o próximo???

Abraços do Manel Kambuta e beijos da minha Hortense para todos os Tabanqueiros, sem esquecer todos os meus amigos e amigas…

Manel  Kambuta  

9 comentários:

joaquim disse...

Palavras para quê?

É o Manel Kambuta a falar da Tabanca do Centro!

Grande abraço
Joaquim

Joseph disse...

Dos compatriotas como ESTE...sinto saudade.
Um grande abraco do José Belo.

Manuel Reis disse...

Este camarigo é único.

Vamos conservá-lo entre nós.

A sinceridade do Manuel, na sua linguagem simples é cativante.

Um grande abraço para o Manuel e a sua Hortense.

Hélder Valério disse...

Meus caros

Este amigo, Manuel "Kambuta", que também já conheci pessoalmente, é de uma transparência que, infelizmente, já vai sendo pouco usual.
O que fala, o que diz, o que escreve, o que transborda das suas emoções é de uma sinceridade sentida que chaga a ser comovente.
Não posso deixar de o saudar por este pequeno mas muito significativo trecho e de cumprimentar a "Hortense".

Mas também o de salientar que, para além do reconhecimento generalizado que o Manuel faz, está uma referência incontornável a um homem bom, muito discreto mas muito eficaz e sempre presente, que é o Agostinho Gaspar.

O meu agradecimento por esta demonstração de que ainda há gente boa neste nosso País, tal como salienta o Zé Belo.

Abraços
Hélder Sousa

Anónimo disse...

Amigos, por favor, eu, o Manel Kambuta, não mereço estes elogios,sou só eu o vosso amigo e irmão MANEL KAMBUTA, QUE, TEM NOS PUROS e BONS AMIGOS QUE SÃO TODOS VOZ, A VERDADEIRA FAMÍLIA, ESTOU A ESCREVER ESTAS PALAVRAS E AS LÁGRIMAS ROLAM PELA MINHA FACE, EU NÃO MEREÇO ESTES ELOGIOS DOS MEUS IRMÃOS «TABANQUEIROS» NÃO, NÃO MEREÇO, O MELHOR DO MUNDO PARA TODOS VOZ MEUS IRMÃOS, QUE, UM DIA FOMOS TODOS PARA UMA GUERRA MAS, ESTAMOS CÁ PARA CONVIVERMOS E RECORDARMOS OS NOSSOS MANOS QUE TOMBARAM...ESTOU COMOVIDO» OBRIGADOS...o que escrevi foi o que o meu coração me obrigou, é simplesmente a minha obrigação dizer o que sinto dentro da verdade.ATÉ DIA 27 CAMARIGOS.

Manuel Lopes disse...

O meu comentário saiu como anónimo mas sou Eu Manuel Lopes Kambuta dos Dembos.

Anónimo disse...

Como eu e a minha mulher também fazemos parte desse grupo de Tabanqueiros que o Manuel considera sua família, só temos a agradecer-lhes toda a sua amizade.
BS

Anónimo disse...

O "nosso" Manuel Lopes Lopes, o Kambuta dos Dembos, tal como é na sua nobreza e na simplicidade verdadeira da sua linguagem. Para ele um Camarigo abraço.
Outro abraço para o nosso totalista, o Agostinho ( Ó Agostinho vai um copinho) Gaspar, outro senhor, sempre disponível e bem disposto. ( Não é verdade, Mexias?)
É saboroso ler também os comentários da malta a mostrarem que a Tabanca do Centro é....a Tabanca do Centro.

Até ao final do mês, pessoal Camarigo.

DA Gama,

Anónimo disse...

É um casal muito simpático, o nosso amigo Manuel Lopes e a sua Hortense. Da última vez que ficamos a lado no último almoço a que fui a amiga Hortense, deu-me umas dicas sobre a agricultura e os seus enchidos. Um beijinho para ambos. Mª Arminda