domingo, 11 de agosto de 2013

P359: NA MORTE DE MAIS UM COMBATENTE



VAMOS PARTINDO


Na morte de mais um combatente, o Luís Borrega.
(Ex-Fur Mil Cav MA da CCAV 2749/BCAV 2922 - Piche, 1970/72)


Paz à sua alma.

Paz aos nossos corações.



Vamos partindo
e Portugal fica mais pobre!

Vamos partindo
e a amizade e lealdade
ficam mais desconhecidas!

Vamos partindo
e o altruísmo e a sinceridade
vão desaparecendo!

Vamos partindo
e a África fica mais pobre,
porque vão desaparecendo aqueles que a conhecem!

Vamos partindo
e connosco parte a liberdade
de ser e parecer o que se é!

Vamos partindo
e a gesta portuguesa
vai findando a sua história!

Vamos partindo
e apenas nós choramos
porque os outros nem nos querem conhecer!

Vamos partindo
mas um dia voltaremos
quando Portugal for Nação
porque então recordaremos
aqueles que foram mais longe que a morte
grandes na sua pequenez
abandonados à sua sorte
mas teimando em cada momento
ter alma e coração
gritando aos sete ventos:
eu não morro,
porque eu sou Português!


                                                                                          Marinha Grande, 10 de Agosto de 2013

                                                                                         Joaquim Mexia Alves

8 comentários:

Anónimo disse...

À família do camarigo Luís Borrega um forte e amigo abraço

Tabanca do Centro

Carlos Pinheiro disse...

Os meus sentidos pêsames à familia enlutada.
Ao Joaquim Mexia Alves um abraço de amizade pelo seu lindo poema.

Hélder Valério disse...

Meu amigo Joaquim

Este teu poema é de uma grande inspiração!

A propósito deste 'passamento' dum camarigo que não conhecias pessoalmente mas, posso dizer-te, foi um dos que adoptou francamente a tua expressão "camarigo" e usou-a insistentemente em todos os grupos do "Face" que 'frequentava', e não eram poucos, quase todos relacionados com a Guiné, os ex-combatentes, etc., acabaste por descrever completamente os nossos sentimentos colectivos, as nossas lamentações e revoltas e também as nossas esperanças e 'certezas'.

O Luís costuma referir que na Guiné tinha escapado por três vezes ao encontro com a "senhora da foice". Mas desta vez, aqui, não foi capaz de 'fintar' a emboscada 'anunciada'.
Aproveito para alertar os amigos que não se deixem acomodar a uma situação de sedentarismo pós-reforma. A falta de exercício, a falta de cuidados alimentares e o 'estilo de vida' podem pregar-nos emboscadas destas.
E a 'fuga', totalmente injustificada, às intervenções que podiam fazer abortar a tal emboscada, também não será compatível com a atitude que se quer sempre que um 'combatente' tenha.

Ganhei amizade ao Luís em Santarém onde fizemos a recruta na EPC. Reencontrei-o em Piche, durante cerca de 6 meses. Voltei a reatar contactos agora, mercê do Blogue "Luís Graça e Camaradas da Guiné", sendo este 'agora' já desde há cerca de 5 anos e desenvolvemos relações de grande amizade.

Fiquei muito triste.

Abraço e obrigado Joaquim pelo poema.

Hélder Sousa

manuelmaia disse...

GOSTEI DESTAS PALAVRAS SENTIDAS QUE ARRUMASTE EM FORMA DE POEMA NO SUPREMO ADEUS AO LUÍS BORREGA.

VAMOS PARTINDO,COMO DIZES, ENQUANTO SE ESCOA O TEMPO DA RECONCILIAÇÃO NACIONAL...

FOMOS "PAU PARA TODA A COLHER",SOFREMOS AS VICISSITUDES QUE UMA "GUERRA SEM INTERNET" APORTOU...
FOMOS PAGOS AO PREÇO DA "UVA MIJONA" ENQUANTO ARRISCAMOS A VIDA A CADA MOMENTO...
PASSAMOS FOME,FRIO,SEDE,MEDO,
HORRORES INCONTÁVEIS, SEM QUE O RESPONSÁVEIS DOS VÁRIOS GOVERNOS QUE O PAÍS CONHECEU NO PÓS GOLPADA SE TENHAM DIGNADO A DIZER-NOS UM LACÓNICO OBRIGADO QUE FOSSE...

VAMOS PARTINDO LENTAMENTE ( PARA QUEM GOSTAVA DE NOS VER PELAS COSTAS RAPIDAMENTE...)

SOMOS EMPECILHOS,PESTES GRISALHAS QUE ALGUÉM DESTA CORJA IMUNDA JÁ NOS APODOU...

OBRIGADO JOAQUIM.

Manuel Reis disse...


Os meus sentidos pêsames a toda a família.

A ti Luís, descansa em Paz.

Manuel Reis

Anónimo disse...

Muito bonita a homenagem do Joaquim Mexia Alves. Muitas sentidas as palavras do comentário do Hélder.Ao Luís, que encontrei graças ao blog do Luís Graça e ao facebook a minha saudade.Que descanse em paz.
JERO

Lucineide Brito disse...

Venho por meio dessa mensagem mostrar meu profundo sentimento pelo ocorrido a familia enlutada. Infelizmente nem tudo acontece como imaginamos, mas Deus sabe o que faz.
Descança em paz.
Abraços Lu.

Anónimo disse...

Mais um camarigo que partiu!.. e o "Grupo", aos poucos vai cada vez mais, ficando pobre. Não o conhecia pessoalmente, mas era um dos que passou pela terra, que não esquecemos. Bonita e sentida homenagem nas palavras do Joaquim Mexia Alves.
À sua família envio os meus sentidos Pêsames e que o nosso amigo, descanse em Paz.