segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

P31: 1º Encontro da Tabanca do Centro

.
.
Mas que belíssimo dia!

A profundidade das palavras do Juvenal Amado
"atingiram" bem fundo o José Brás!

O José Brás, já recomposto, pensa e age:
Agora que o Juvenal está distraído, a ver se bebo um copo!



Devemos ser primos ainda que afastados do Astérix e Obélix, pois quem nos quer ver felizes é juntos e de preferência numa mesa farta.
À falta dos javalis temos nós belos pratos da nossa cozinha tradicional.
Um peixe grelhado, uma mariscada, ou no caso um cozido à portuguesa pedem meças a qualquer alta cozinha do Mundo.
Isto é na minha modesta opinião e já o meu avô e pai pensavam o mesmo, por isso deve ser de família.
Dirão alguns em ar depreciativo, que não tem ciência nenhuma, que é meter tudo a cozer numa panela e já está.
Estão enganados pois a escolha das carnes, os chouriços os legumes e o tempo certo de cozedura, fizeram deste prato um dos mais apreciados da nossa cozinha .
Na pensão Montanha todos esses factores estiveram em conta, o resultado foi uma jornada de garfo e faca, que deixou saudades e vontade de lá voltar.
No dia do arranque da Tabanca do Centro ninguém se fez rogado.
Depois falamos de solidariedade, os camaradas envolvidos mostraram os seus projectos emoção não faltou, quando se falou da ajuda ao povo da Guiné.
Todos estava felizes mas ninguém ganhou ao impulsionador do projecto o camarigo Mexia chefe da dita cuja.
E tinha razão para estar feliz sim senhor pois correu tudo bem.
Bem agora vamos esperar pelo próximo golpe de mão.
Um abraço
Juvenal Amado
________________________________________
Nota: Julgo ficar assim concluída a publicação dos textos que em enviaram sobre o 1º Encontro da Tabanca do Centro.
Se algum ficou para trás peço desculpa e peço que me avisem desse facto.
Seguir-se-ão os textos do José Belo que deixei propositadamente para o fim.
Preciso de ajuda!!!! Please!!!
.
.

2 comentários:

sacadura disse...

Ó Mexia já estás a ficar á rasca.
O Vinhal e o Magalhães devem estar a arreganhar a tacha e a pensarem «Ora tomar que é para saberes»
Agora fora de brincadeiras, se me disseres como se faz eu ajudo.
Se eu for capaz também é necessário que se diga.

Um abraço

Juvenal Amado

Hélder Valério disse...

Pois é, acho que o Juvenal tem essa capacidade para produzir efeitos desses...

Não se disse já que tem forte responsabilidade na iniciativa da criação da TabCen? E que isso se deve à barriguinha?

Um abraço
Hélder S.