sexta-feira, 31 de julho de 2015

P683: FLIZ ANVERS FILNHA!

Texto recebido de Manuel Lema Santos, sem identificação do autor. Com a devida vénia ao nosso camarada e ao autor desconhecido.

UM ANIVERSÁRIO PERFEITO

A minha filha completou quinze anos e organizámos a festa de aniversário com um baile num salão de festas para que convidasse todos os seus amigos.
Nessa noite, à medida que iam chegando, sentavam-se no lugar designado e em seguida ligavam os telemóveis e começavam a jogar ou a conversar por meio de sms.
Era muito comovente vê-los concentrados no ecran dos seus sóbrios e negros aparelhos, como especificava o convite “estilo desportivo e elegante e telemóveis negros”.
Tão crescidos que estão todos! Pensar que os conheço desde que começaram a falar... Ainda me recordo da voz deles, alguns já não se lembram que falavam quando eram crianças e falavam a olhar-se olhos nos olhos. 
Faziam erros ao falar e eu não os corrigia, claro, pensava que iriam crescer e aprender a falar correctamente.
Quando chegou o momento do baile, cada um colocou os auriculares, escolheu a lista de músicas que mais gostava e entrou na pista de dança. Dava a sensação de que todos dançavam ao som da mesma música.
A entrada de minha filha foi apoteótica, exultante de emoção. 
Cada um dos amigos tentava ser o primeiro a fazer chegar o seu sms de felicitações, movendo os dedos a toda velocidade. 
Os mais precavidos já tinham a mensagem preparada e só precisavam de carregar em “ok”. 
O telefone de minha filha não parava de vibrar e como era impossível lê-los todos, guardou alguns para mais tarde.
Aproximei-me dela e disse-lhe sem me dar conta:
- Feliz aniversário filhinha. 
Ela olhou-me horrorizada e afastou-se de mim.

Preocupado, fui atrás dela e tentei perguntar-lhe se se passava alguma coisa, o que teria feito que a incomodara.
Puxou do telemóvel e mandou-me um sms:
-Qres me envrgoñr frnte ms amgs? Fzme o fvor, pra q exst os tlms?
Não tive outro remédio senão ligar o meu telemóvel e mandar-lhe as minhas felicitações por sms:
- Prdao Fliz anvers filnha Bj Papa.
Foi um aniversário perfeito!
Como o tempo passa e que "velho" estou. Pensar que quase lhe dei um beijo!


2 comentários:

Hélder Valério disse...

Tempos modernos?

Infelizmente, sim!
E, mais grave, não têm, na generalidade, percepção do mal que estão a fazer, a eles mesmos.

Hélder Sousa

Carlos Esteves Vinhal disse...

Sinais dos tempos. Todos nós, mais uns que outros, somos atacados por estas modas que reduzem o contacto pessoal em detrimento do virtual.
A história é apesar de tudo excelente, tipo tragico-cómica.
Abraço do vosso leitor
Carlos Vinhal