sábado, 14 de fevereiro de 2015

P611: MOMENTO DE DOR PARA ESTE NOSSO CAMARIGO

        Para o José Belo
  
É sempre muito difícil escrever para dar notícias terrivelmente tristes.

Mais difícil se torna quando envolvem um amigo a quem não podemos abraçar fortemente nos nossos braços, por se encontrar milhares de quilómetros longe.

Não há modos mais suaves ou melhores de dar estas notícias.

Em escassos três meses, depois de diagnosticada uma doença do foro oncológico, faleceu a Britt-Marie, mulher do nosso camarigo José Belo, que vive longe na Suécia.

Como Português que é, a distância do seu Portugal, da sua língua materna, não ajuda nada a viver estes momentos dolorosos, que eu nem calculo o que sejam.

Podia escrever aqui um “tratado” de palavras doces, de conforto, de solidariedade, mas tenho, por experiência própria, que nestes momentos as palavras são escusadas e que o melhor é o beijo na face, o abraço forte, apertado, de tal modo que ele sinta que os nossos corações batem no mesmo compasso do dele.

E é isso que aqui te queremos dar, José Belo, querido camarigo, um abraço que envolve todos nós, mas um abraço de tal modo que sintas que estamos contigo agora e sempre.

Joaquim Mexia Alves

15 comentários:

Carlos Pinheiro disse...

De facto, nestes momentos não há palavras. Um abraço forte.
Carlos Pinheiro

Anónimo disse...

Um grande abraço, Zé Belo, neste momento de imensa dor.
Vasco A. R. da Gama

José Marcelino Martins disse...

As palavras fogem, sem que consigamos articula-las, quando a voz nos trai.

Abraço amigo, Zé Belo

antonio graça de abreu disse...

Que dizer, meu caro José Belo?!
Partiu uma parte de ti.
Coragem até ao fim dos nossos dias.

Abraço muito forte,

António Graça de Abreu

Torcat Mendonca disse...

Não consigo enviar o e-meail ao José. Fica aqui, se não se importam, o meu "comentário" pode desse modo a ele chegar

José Belo

O meu abraço solidário e fraterno nesta hora. Os meus sentidos pêsames para ti e tua família.

Estou contigo Amigo,
Abraço-te, Torcato

Juvenal Amado disse...

Neste momento da tua dor imensa quero enviar-te um grande abraço de solidariedade e amizade

Um abraço e os meus mais sinceros pêsames

Anónimo disse...

Sentidos pêsames, Amigo. Aqueles que amamos nunca morrem, apenas partem antes de nós.
Abraço fraterno.
JERO

Manuel Reis disse...

O Mexia Alves transmitiu os nossos sentimentos.

Amigo Zé Belo, apenas te posso desejar que tenhas muita força para superar o momento doloroso que estás a passar.

Estou contigo, associado à tua dor. Um abraço apertado.

Manuel Reis

Anónimo disse...

Caro Joaquim

Porque não consegui inserir um comentário no blogue e não ter o endereço do Zé Belo. agradecia lhe transmitisses um forte e solidário abraço com a sua dor naturalmente extensivo aos seus filhos

Jorge Narciso

Joseph disse...

Profundamente grato pelas Vossas palavras solidárias.

Um grande abraco do José Belo

Joaquim Mexia Alves disse...

Nunca nos esquecemos, querido camarigo José Belo, que no primeiro encontro da Tabanca do Centro, vieste da longínqua Suécia para estar connosco.

Como poderíamos nós não estar contigo em todos os momentos, sobretudo estes, em que precisas do abraço silencioso, daqueles que viveram e vivem ainda as mesmas experiências porque passámos.

Por isso o nosso abraço atravessa a Europa, os mares gelados, os frios empedernidos, para levar calor ao teu coração, na tão longe, e no entanto tão perto, Suécia.

Estamos contigo onde quer que estejas.
JoaquimJ

manuel maia disse...

Camarigo José Belo,


É dificil encontrar palavras que consigam minorar a tua dor.
Recebe um abraço fraterno e solidário nesta hora de provação que atravessas.

Anónimo disse...

Camarigo José Belo!

Neste momento difícil de dor, quero expressar-te os meus sentidos pêsames.

Abraço fraterno e solidário.

Artur Soares

Hélder Valério disse...

Caríssimo amigo e camarada José Belo

Também por aqui quero deixar expresso o meu sentimento de amargura perante o drama que se abateu sobre ti e família.
As palavras, essas, já foram sabiamente proferidas pelo Mexia Alves e os sentimentos dos amigos está bem expresso nas mensagens que te dirigem.
Não posso, nem devo, acrescentar mais.
Um forte abraço.
Hélder Sousa

Anónimo disse...

Só conheço o camarigo José Belo através da Tabanca do Centro. Imagino a sua imensa dor. Envio um grande abraço e os meus sentidos pêsames. Mª Arminda