domingo, 30 de novembro de 2014

P577: REVISTA "KARAS" DE NOVEMBRO



7 comentários:

Hélder Valério disse...

Caros amigos

O "Amado Chefe" teve o cuidado de pedir desculpa antecipada para a eventualidade de algum dos presentes não se sentir 'retratado', na medida em que o editor/redactor/fotógrafo 'também ser gente' e precisar, como qualquer mortal, de tratar da sua refeição, podendo então, por falta de oportunidade, não 'fazer o boneco'.

Mas o que conta é mesmo o registo do acontecimento, a sua própria realização, a continuidade da amizade e do convívio.
E isso está tudo na foto/reportagem.

Abraço.
Hélder Sousa

zé manel cancela disse...

Gostei muito de reencontrar de novo os meus camarigos da tabanca do centro.

Para o nosso Almirante Vasco da Gama,um abração ENORME,De buba a Aldeia,a passar por Combijá,e um rápido restabelecimento.....

Anónimo disse...

Boa noite Camarigos
Tive muita pena de não poder estar presente mas as obrigações de "Avô itinerante" não o permitiram. Mais uma GRANDE obrigado ao nosso Coronel Pil. Aviador-Escritor-Fotógrafo e Editor Miguel Pessoa pela sua excelente reportagem. Este Homem é único.Até breve se Deus quiser. JERO

Joseph disse...

Apesar de todas as "tempestades" que têm atravessado o nosso querido Portugal é animador,reconfortante,ou simplesmente(!) fantástico,que Amigos e Camaradas tenham descoberto o porto de abrigo que é a Tabanca do Centro.
"Encontando-se" nas más e boas recordacöes da guerra na Guiné,superando divergëncias geográficas,sociais e...näo escrevo "políticas" porque infelizmente esta palavra tem hoje demasiadas conotacöes com esterco.
Desde täo longe...um portuguës sente-se "em casa" ao olhar as fotografias.
Um grande abraco do José Belo.

Joaquim Mexia Alves disse...

Sim, eu sei que já o disse e repeti várias vezes, mas a verdade é que as palavras não chegam para dizer e elogiar a dedicação e o trabalho do Miguel Pessoa pela Tabanca do Centro.

E se alguém julga que não dá trabalho, desengane-se, porque dá e muito.

Ele tem, por exemplo, o cuidado de tirar um fotografia individual a cada um daqueles que já esteve nos nossos encontros.

Ele tem, por exemplo, o cuidado de tentar não deixar ninguém de fora da sua/nossa revista para que todos sintam que são bem vindos, que são família.

Ele tem, por exemplo, o cuidado de quase sem descansar, logo após cada encontro, trazer até nós a Karas.

Enfim, podia ficar aqui a escrever inúmeros exemplos da sua dedicação e trabalho, no fundo a todos nós, e por vezes os nossos agradecimentos ficam aquém do que ele tão bem merece, e que podiam ser expressos, por exemplo, aqui num comentário, com um simples obrigado e um abraço.

Obrigado Miguel, um grande e muito amigo abraço
Joaquim

Joaquim Mexia Alves disse...

Porque alguns poderão não perceber o porquê da frase que o Paulo Moreno, (sem nada me dizer, obrigado Paulo!), colocou no calendário, «Tiraram-me a G3 mas fiquei com uma caneta...» aqui recordo algo que escrevi.

Tiraram-me a G3
mas fiquei com uma caneta…



Tiraram-me a G3
mas fiquei com uma caneta…

Mas não foi só a mim que a tiraram,
foi também àqueles lá estiveram.
àqueles que comigo estavam
e àqueles que haviam de estar…

Mas não tem mal,
porque continuamos a disparar,
as balas da recordação,
as granadas da memória,
os fornilhos da indignação…

Mas não tem mal,
porque continuamos a cruzar
as picadas da camaradagem,
os rios da amizade,
os encontros da camarigagem….

Mas não tem mal,
porque nos continuamos a encontrar,
à sombra do imbondeiro,
que nos traz sombra do passado
e nos reconstrói no encontro
o nosso corpo inteiro…

Mas não tem mal,
porque continuamos
sós como sempre fomos,
abandonados daqueles
que nos deviam honrar…

Mas não tem mal
porque aprendemos,
a contar apenas connosco,
no ter, no haver e no ser,
porque aqueles que nos governam,
apenas nos querem esquecer…

Mas não tem mal,
porque somos,
muito mais que uma centena,
muito mais do que um milhar,
ou mesmo de um milhão,
somos tão só e simplesmente
uma grande multidão,
que não esquece,
nem se envergonha,
e grita aos sete ventos,
que afinal somos gente
que tem vida e coração…

Que não se arrependa ninguém,
de contar o que viveu,
de escrever tudo o que viu,
de revelar a realidade…
Para que não haja outros agora,
que sem nada conhecer,
venham contar uma história,
que nunca aconteceu,
que em tempo algum existiu,
dando-lhe foros de verdade….

Tiraram-me a G3
mas fiquei com uma caneta…


Monte Real, 4 de Maio de 2010
Joaquim Mexia Alves

Anónimo disse...

Sem sombra de dúvida o nosso amigo Miguel Pessoa, não perde uma única oportunidade de nos incluir a todos nesta já famosa "Karas" e ele fica muitas vezes de fora. Foi mais um grande convívio. Aproveito para agradecer o calendário que amavelmente o Paulo Moreno idealizou e concebeu e que o nosso "Amado Chefe" Joaquim Mexia Alves, nos presenteia em verso, a substituição da sua G3, está fabuloso. Parabéns amigo. Aproveito para endereçar a todos um abraço e votos de Santo e Feliz Natal. Bjs, Mª Arminda