domingo, 11 de janeiro de 2015

P593: JERO - CRÓNICAS DOS TRIBUNAIS / 2

OUTROS TEMPOS… OUTRAS DETERMINAÇÕES!

Em passado recente veio noticiado num jornal nacional (C.M., de 1.09.2014) que uma patrulha da GNR, da Lixa, tinha sido atacada à dentada, resultando ferimentos em dois militares. O agressor foi detido. De acordo com as autoridades o suspeito estava alcoolizado e andava aos saltos por cima de vários carros. Foi-lhe pedido para deixar o local , o que se negou a fazer, reagindo de forma violenta às ordens dos militares.

Esta situação fez-me lembrar uma história de outros tempos com algumas diferenças notórias e que se passou bem longe de Lixa…

Numa manhã de 2ª.feira foi apresentado no Tribunal de Alcobaça um indivíduo acusado de desobediência à autoridade. Segundo a participação circulava de motorizada sem capacete e quando mandado parar pelo militar da GNR teve comportamento desrespeitoso.

Interrogado pelo Juiz o réu não confirmou a acusação de que era alvo e queixou-se ao Magistrado que tinha sido mesmo agredido pelo militar da GNR.

O Juiz perante esta situação inquiriu o militar da GNR. 
” Então sr. Agente o que tem a dizer?”

- Saiba V.Exª. ,sr. Doutor Juiz , que o réu não obedeceu de imediato às ordens que lhe dei para parar a motorizada. Quando o fez efetivamente e me consegui aproximar dele insultou-me - chamou-me “policia de merda” - e cresceu para mim de forma agressiva.

Nesta altura fiz uso da força muscular que me está distribuída”.

Já não recordo a sentença mas que eram outro tempos…eram!

                                                                                                JERO




3 comentários:

Anónimo disse...

AMIGO JERO, os tempos estão mesmo mudados. Outrora havia mesmo respeito pelos protagonistas que mantinham a ordem pública e os cidadãos, raramente os atingiam, ou se revoltavam.
Atualmente há posições muita vezes extremadas, por parte das pessoas aquando intimadas a acatarem as ordens e procederem a boas condutas.Algumas vezes passam a agredir os agentes, que se usarem da força em demasia, ainda têm que responder em tribunal. Um abraço. Mª Arminda

Joseph disse...

"Fiz uso da forca muscular que me está distribuída".

O oscilar dos pêndulos...ou... (e assumindo-me)...melancólicas nostalgias várias.

Um grande abraco do José Belo

Anónimo disse...

Um beijinho para a Maria Arminda.
Um grande abraço para o José Belo.
Fazendo uso da força muscular que me está distribuída...despeço-me.
Até à próxima (se não for antes).
JERO