terça-feira, 30 de setembro de 2014

P547: UMA NOTÍCIA TRISTE




A MORTE DE UM HERÓI DE PORTUGAL

Faleceu hoje o Comandante Alpoim Calvão.
Alpoim Calvão faz parte da memória de todos aqueles que passaram pela Guiné.
Como combatente é, sem dúvida, um dos militares mais prestigiados das Forças Armadas Portuguesas e uma referência do valor e destemor que o povo Português sempre mostrou ao longo da sua história, na defesa de Portugal.

Neste momento de tristeza acompanhamos a sua família, a sua família dos Fuzileiros Navais, a Marinha Portuguesa, as Forças Armadas Portuguesas e pedimos paz para a sua alma.
Os heróis não morrem! Viva Portugal!

A Tabanca do Centro

8 comentários:

Joaquim Mexia Alves disse...

A minha sincera homenagem ao Comandante Alpoim Calvão.

Que descanse em paz.

Hélder Valério disse...

Que possa descansar em paz!

Hélder Sousa

Joseph disse...

Militar Operacional digno do maior respeito pelo seu heroísmo e sentimento do dever.
Um exemplo de carácter e coerência nas opcöes,infelizmente täo raro num país com demasiados "amorfos".
Quanto ao político-militar será sempre olhado de formas diversas consoante o lado das barricadas;o que será normal.
Com justica,será referência garantida na História do Portugal recente.

Manuel Reis disse...


Repousa em PAZ camarada.

Sentidas condolências à família.


Manuel Reis

Anónimo disse...

Camarigos
Tive a honra de o conhecer na Guiné em Binta em data que não sei precisar mas seguramente em meados de 1965. O Comandante Alpoim Galvãp era contemporâneo do meu Capitão Alípio Tomé Pinto. Nunca mais o esqueci e falei-lhe, recordando essa passagem por Binta, num lançamento de um livro de um camarada em Lisboa. E fui por ele abraçado. Recordo esse momento como uma condecoração.
Foi um Militar Operacional digno do maior respeito pelo seu heroísmo e sentimento do dever.

Será referência na História do Portugal recente. Até sempre, meu Comandante.
JERO

Anónimo disse...

Que repouse em Paz e as minhas sentidas condolências à sua família.
Conheci o Sr.Comandante Alpoim Galvão na Guiné. Grande militar digno do meu respeito e admiração.

manuel maia disse...

Militar de créditos firmados.
Soube honrar o nome de Portugal.
A história recordá-lo-á como um bravo.
Lá "no assento étereo onde subiste" entre os heróis terás a distinção,que por cá nesta Pátria que serviste, pejada de traidores,não to darão...

Anónimo disse...

Escrevi o comentário, mas não o assinei. Está antes do comentário do Manuel Maia. Mª Arminda