sábado, 26 de novembro de 2011

P154: DIÁLOGOS EXPLOSIVOS DOS MARRETAS DO CENTRO - 4

CARTA DO COMANDANTE DA FRELIBU

Exmº Sr. Joaquim Mexia Alves, mui conceituado régulo da Tabanca do Centro
Exmº Sr. Miguel Pessoa, digníssimo director da conceituada revista Karas
Exmºs srs.,
Escrevi um texto que agora anexo aproveitando a oportunidade para apresentar o meu mais enérgico, impetuoso, entusiástico e veemente protesto, contra a discriminação que há na publicação dos comentários, a fazerem-me lembrar outros espaços.
Deve andar por aqui mãozinha do senhor de Morais a quem o texto era destinado que até contou as palavras que eu escrevi para se desculpar que não tinha espaço...
Peço aos meus ilustre interlocutores a análise da minha missiva e a sua publicação onde julguem mais consentâneo com a sua elevada qualidade.
Antecipadamente grato,
Comandante da FRELIBU.

Texto enviado em anexo à mensagem anterior:

Exmº sr. Director da revista KARAS,
Ao abrigo da lei da imprensa que, creio, é praticada na sua revista, solicito a publicação do meu texto.
O SENHOR "DE MORAIS" É Um Inveterado Andrade e um perigoso DRAGÃO!
"Dragão" e dos "Supers", capaz de disparar em todos os sentidos, mas olvida-se que os veros intelectuais, como é o meu/nosso caso, para além da sua sabedoria e apuro, cultivam também com desvelo a capacidade que o espírito tem de reconhecer e localizar fenómenos passados que registam no seu livrinho de lembranças a que outros chamam de "memorial".
Apesar de ser Comandante da Frente de Libertação de Buarcos, abaixo designada por FRELIBU, sou um homem pacífico pois, confesso, sinto já alguma dificuldade em desembainhar a espada, ao contrário de algumas gargantas que trocam cores e se armam em grandes “artistas”para inglês ver….
Venho pois a terreiro, sem intuitos bélicos, mas em defesa de dois grandes vultos da nossa sociedade, o senhor Almirante Vermelho e sua Senhoria D’A, personagens de altíssimos conhecimentos que, inclusivamente, vêm os seus escritos publicados desde o círculo polar árctico, nas terras distantes da Lapónia, até terras californianas pátrias do Capitalismo que nos vai conduzindo às sacudidelas…mas lá vamos andando!
O senhor de Morais diz em comentário enviado para o sr. director “ verbum pro verbo”:
             “Temos aqui um nítido caso de desdobramento de personalidade”
Para logo de seguida “azular" com ar de poeta galhofeiro uns pseudo versos , aproveitando para fazer rimar "eloquência" com “demência”!
Sabe-se de fonte segura que o tal de Morais, em férias termais no centro do país, escreveu a versalhada envergando bonito calção azul decorado com pequenas cabecinhas louras de um tal Hulk, conhecida personagem da "banda animada".

Mas sabem os distintos leitores onde é que o tal de Morais bebeu essa do desdobramento? No chefe da banda dele!
Respiguei da revista, das boas, não de qualquer pasquim; "O presidente Costa, conselheiro do  Morais, acusou o grande timoneiro Vieira de sofrer de "desdobramento de personalidade". O "de" Morais, sagaz, logo lhe telefonou a perguntar pormenores, para utilizar  a frase bombástica no seu escrito.

Esqueceram-se das escutas, bem guardadinhas em cofre forte, que eu passo a citar:

"Bom dia, Mestre!"
"Olá, Morais, como vais?" (O tal de presidente também é poeta e dos bons...)
"Explique-me lá essa do desdobramento, que eu preciso de atacar um sacana que tem a mania que é intelectual..."
"O morcon do Orelhas é presidente do SLB, aprendeu a nadar na piscina do Sporting e é sócio do nosso amado "Fêquêpê"."
"Mas isso é tridesdobramento!"
"Ó Morais, não me fales em três que eu ando cá "cum  pressentimento" do pipipipi..."
Mesmo avisado o "de" Morais atacou e atacou mal.

Sabe-se de fonte segura que na sua juventude de fadista “pop”,calcorreava as ruelas do Bairro Alto, protegendo o pescoço com um cachecol da Juve Leo, cantando apenas e só em solares de nobres e viscondes que vinham de Alvalade para o ouvir. Diz-se, ainda   não consegui apurar, que o tal “fado do embuçado” se passou com ele!
Os outros é que desdobram, não é sr. “de” Morais?....

Provada a acusação eu, chefe da FRELIBU, partiria agora para o ataque gratuito arrasando os despautérios do senhor “de” Morais! Mas, não! Eu sou um intelectual, melhor, tornei-me um intelectual após a leitura de recensões e recensões de conceituados psicólogos, pelo que optei pelo tom didáctico, pedagógico, instrutivo e aproveito até para elevar o nível da revisteca Karas que se  abre a qualquer gato pingado escrevinhador, em vez de pugnar pela qualidade dos seus colaboradores, aqui deixando dois poemas:

LIBERDADE

Ai que prazer
não cumprir um dever.
Ter um livro para ler
e não o fazer!
Ler é maçada,
estudar é nada.
O sol doira sem literatura.
O rio corre bem ou mal,
sem edição original.
E a brisa, essa, de tão naturalmente matinal
como tem tempo, não tem pressa…
Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.
Quanto melhor é quando há bruma.
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!
Grande é a poesia, a bondade e as danças…
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol que peca
Só quando, em vez de criar, seca.
E mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças,
Nem consta que tivesse biblioteca…

Autoria:Fernando Pessoa

BOCAS ROXAS

Bocas roxas de vinho,
Testas brancas sob rosas,
Nus, brancos antebraços
Deixados sobre a mesa;
Tal seja, Lídia, o quadro
Em que fiquemos, mudos,
Eternamente inscritos
Na consciência dos deuses.
Antes isto que a vida
Como os homens a vivem
Cheia da negra poeira
Que erguem das estradas.
Só os deuses socorrem
Com seu exemplo aqueles
Que nada mais pretendem
Que ir no rio das coisas.

Autoria: Ricardo Reis

Para os mais distraídos a poesia acima transcrita pertence apenas e só a um grande ser Humano. Os nomes ou se quiserem as personalidades  apenas realizam distintas interações entre o autor e a poesia.
Tal como o faz, aliás com brilho reconhecido, o Almirante Vermelho ou a Senhoria D’A.
O texto está longo e portanto passível de ser cortado pelo director, que se assim proceder, bem pode mudar o nome do pasquim Karas que dirige(?) para outro mais condizente com os amiguinhos, “KARASANTAS”.
O Comandante da FRELIBU
PS - Peço apenas que este artigo fique retido na redacção da sua revista até ao  dia 19 de Novembro para que possa tirar a prova dos três. (Nota do editor: E é que tirou mesmo! Foram três secos...)

CARTA DO EDITOR DA “KARAS”

Ex.mo Sr. Joaquim Mexia Alves
Tendo recebido esta missiva do auto-intitulado dirigente da FRELIBU, tenho a dizer o seguinte:
A revista Karas é uma publicação periódica mensal que se insere num espaço mais amplo, o blogue da Tabanca do Centro, que V.Exª tão sabiamente dirige. A "Karas" responsabiliza-se exclusivamente pelo que nela é publicado e não assume por isso qualquer comprometimento relativamente aos comentários que no blogue são publicados, sejam sobre a revista ou sobre qualquer outro assunto.
Nesse sentido e por considerar ser este um assunto que ultrapassa a área de actuação desta revista, sugiro  que ao abrigo da Lei de Imprensa V.Exª publique os textos enviados pelo Sr. Frelibu no espaço do seu site, como uma carta aberta que, de acordo com o seu conteúdo, presumo que seja dirigida a V.Exª.
Com os meus cumprimentos
O editor da "Karas"

CARTA DO RÉGULO DA TABANCA DO CENTRO

Exmos. Senhores
Vasco da Gama e Miguel Pessoa
Recebidas que foram as vossas mensagens, iremos sem dúvida arranjar um espaço para publicar este protesto agora chegado.
Não sei se o Senhor de Morais terá algo a dizer, mas desde já peço a autorização ao Exmo. Senhor Vasco da Gama, para se chegar às minhas mãos uma resposta do referido Senhor de Morais, a colocar no seguimento deste seu texto, a qual obviamente poderá depois replicar.
Claro que a minha vida não é esta pelo que em devido tempo, tal será publicado.
Com a minha sincera e disponível gratidão
Joaquim Mexia Alves

CARTA DO COMANDANTE DA FRELIBU

Querem a papinha toda feita… pois segue em anexo o comentário do Sr. de Morais, publicado na edição especial (?) da revista Karas de Outubro e que aparece numerado como comentário 13.
Espero, sinceramente, que o sr. Joaquim Mexia Alves não se escude em tarefas muito urgentes para adiar "sine die" a resolução deste protesto que se pode transformar em crise estrutural.
Os meus sinceros respeitos, não sem antes ter apontado no meu "memorial" o silêncio cúmplice do director/editor.
Vasco da Gama

Em 31OUT o Senhor de Morais tinha dito...

Oh pá, isto agora complicou-se!!! Temos aqui um nítido caso de desdobramento de personalidade! O Senhor D’A já não se reconhece como Almirante Vermelho e a fase ilusória da doença já o leva a escrever a si próprio, auto-elogiando-se!!!
A coisa está mal!
Acho que já nem com uma sessão de Cozido à Portuguesa a coisa melhora.
Oh diabo, que aquela eloquência rima com “demência”!!!
Bem, compreende-se: o saber que a força do mar vai atacando o seu querido Buarcos, destruindo-lhe paredões e sabe-se lá mais o quê, teve um efeito devastador no seu equilíbrio e levou tão preclaro amigo a desdobrar-se em personalidades, (ainda falta o comandante de uma tal FRELIBU), já não sabendo quem na realidade é esse distinto atabancado ao Centro, que todos tanto prezamos!
Eu sabia que isto de ter vários pseudónimos não ia acabar bem!!!
Enfim, acredito que um almoço de Natal, na Tabanca do Centro, lá para o fim de Novembro, a coisa volte à normalidade.
Seu admirador preocupado
Senhor de Morais

CARTA DO RÉGULO DA TABANCA DO CENTRO

Sr. Vasco da Gama
O assunto está a ser tratado condignamente como Vossência merece.
A resposta do Senhor de Morais será a este protesto do Comandante da Frelibu.
Mas o referido comandante tem a porta aberta para replicar, obviamente.
Sempre ao dispôr
Joaquim Mexia Alves

CARTA DO Sr. DE MORAIS

Resposta ao Protesto de um pobre iludido

Eu não disse???
Eu avisei que estes desdobramentos de personalidade são perigosos!
Agora já vem o tal de Comandante da FRELIBU.
Que raio de nome!
Até apetece dizer: Frelibu, Frelibu, …! Não digo o resto que me vem à cabeça.
Calculem bem que os devaneios deste Senhor, o levam a comparar-se, SÓ com Fernando Pessoa!!!
E para mostrar a sua pretensa intelectualidade, faz “copy/paste” de uns versos “arrebanhados” no google, assim como se já alguma vez os tivesse lido!!!
O pobre comandante da FRELIBU vem invocar, coitado, como prova da sua ”intelectualidade”, (não me posso rir porque estou com cieiro), uns escritos que terão sido publicados em espaços da Lapónia, ou Califórnia, (nem ele sabe bem).
Espaços, (que distintamente do seu autor, o Sr. De Belo), são conhecidos por apresentarem umas moçoilas louras, de olhares langorosos e por vezes mais ou menos expostas, apesar do frio daquelas paragens, (na Lapónia, está visto).
Ora isto diz bem da “intelectualidade” do dito cujo comandante.
E depois chama-me “Andrade” e perigoso Dragão!!!
Um pobre “Lampião”, armado em Águia que de tão depenada, já não voa, mas apenas se arrasta pelos relvados, que já foram de Luz, mas agora…
E vem invocar pretensas conversas com um tal Presidente Costa, que não deve ser com certeza o Presidente do FCP, pois senão o Comandante, (de quê? Não me lembro do nome?), teria de dobrar a cabeça em sinal de respeito.
Mas, escrevia eu, umas tais conversas acerca de um tal Vieira que, se não sofre de desdobramento de personalidade, sofre sem dúvida de um desdobramento de “orelhas”, ou seja, de um desdobramento de audição que o leva a ouvir coisas que não existem!!!
Enfim, para quê perder tempo com tais dislates, que apenas são fruto de uma cabeça, sem dúvida, com um fortíssimo desdobramento de personalidade!
Quanto ao passado fadista, não se meta o tal de Comandante, (de quê? Ai que não me lembro?), agora ainda por cima que o fado vai ser elevado á condição de património mundial, pelo que, o tal Comandante da …, (ai que me falha a memória), devia era ter muito respeitinho e estar agradecido, homenagear aquele que se dedicou em tempos da sua vida a tão respeitada e honrosa actividade, como é a de fadista.
Quanto às insinuações sobre um tal cachecol, apenas posso afirmar ao tal Comandante, (como é que raio se chama a coisa de que ele diz ser comandante?), que para além de sofrer de um nitido desdobramento de personalidade, também sobre de um terrível atrofiamento da vista!!!

Para si, e para as suas personalidades, aqui lhe deixo uns versos, em boa rima popular portuguesa:

Ó Almirante Vermelho,
grita o Senhor D’A,
chegue-se perto de mim,
para que lhe dê um conselho.
Ó Senhor D’A,
grita o Almirante Vermelho:
pois meu Senhor és tu,
chamas mesmo por mim,
ou pelo comandante da Frelibu?
Alguém falou em mim,
comandante da Frelibu,
ou são os meus ouvidos
que ouvem,
a voz de um homem velho:
será o Senhor D’A,
ou o Almirante Vermelho?
Dão-se as mãos os três,
que afinal são só um,
rodopiam e dançam,
saltitam e esbracejam,
todos a uma só vez.
Depois vem a ambulância,
com aquele “coletinho” branco,
que prende atrás,
com um suspensório,
e acaba a gritaria,
com a entrada no…
sanatório!!!



Mas, sensível como sou às desgraças dos outros, fico disponível para o abraçar no almoço de Natal da Tabanca do Centro, onde espero já tenha tomado os seus comprimidos, e possa assim desfrutar da companhia dos seus camarigos.
Tenho dito
Senhor de Morais


(Apoio gráfico de www.vracimages.com e www.fotosearch.com.br, com a devida vénia)


4 comentários:

Anónimo disse...

Irra, senhores,

Vocês ficam, ou deixam os outros azuis com os vossos discursos e ao rubro por inveja.

Felizmente sou verde e tenho ainda muitoi tempo para aprender. Faltam-me bicicletas para tanta pedalada..

Continuem e até dia 30. Até lá recebam o meu abraço virtual.
BS

Asterix disse...

Gostaria de dizer mais alguma coisa, mas os Romanos não me deixam tempo para tal.

Portanto aqui fica:

ESTES "TABANQUEIROS" ESTÃO LOUCOS!

Anónimo disse...

Camarigos, o meu abraço respeitoso ao sr. Comandante da FRELIBU pela forma sã e escorreita como escreve,já para não falar nos adjectivos assaz marcantes com que brinda os senhores directores, mostrando assim a sua esmerada educação que recebeu na Suiça.
Pena que se estabeleça, logo de seguida, confusão desnecessária provocada pelo "de" Morais!
Gostaria de colocar frente a frente o "de"Morais mais o "D'A" e o "Almirante "de" Vermelho e o Comandante da FRELIBU, mas estas personagens na hora da verdade, cortam-se!
Talvez um dia aparecem em trenó comandado pelo "escorregadio" "de" Belo sentadinhos confortavelmente com os joelhos tapadinhos por manta pele de rena a evitar artroses mais complexas, pois de acordo com o médico de Buarcos as artroses descem dos cérebros para os joelhos e, no caso presente, já ultrapassaram a cintura.
Deixo, desta feita, sem resposta o sr. Asterix que, ao que me foi dado saber apenas se preocupa com o "enfardar". Grupo especial estará atento no próximo dia 30 para ver se descobre tal ingrata personagem.

Vasco Augusto Rodrigues D'A Gama

J.Belo disse...

A "FRENTE-HALIBUT" e as sublimacöes...reprimidas.Bem evidentes na figura elegante do jovem a com-putar na foto,que nada tem a ver com o "cheiinho" sexagenário de outras fotos da guerrilha.Somam-se os evidentes sado-masoquismos latentes quanto ao capuz,mais próprio das festas-reservadas da Senhora Dona Lola do quinto esquerdo, de certo apartamento de uma cidade costeira junto à Praia da Figueira.Citacöes de Fernando Pessoa tiradas de obras em Banda Desenhada/Edicäo Infantil/Para menores de 8 anos! Soma-se o olhar doce do menino(a)que segura a pistola na segunda foto,em posicäo de tal modo "meigo-agressiva"que me faz recordar o nosso täo querido camarada Marco Paulo no seu programa da rádio aquando da sua passagem pela Guiné da Guerra.Por último,mas näo menos,lembrar veementemente ao autor deste texto que,o termo "Senhoria D'A" tem direitos de autor registados na Lapónia,e que um protesto(inicial!)já se encontra em Tribunal-Renal. E,muitos abracos em todas as direcöes.