quarta-feira, 27 de julho de 2011

P101: Karas de Monte Real - Julho

.
.


Editor - Miguel Pessoa
.
.

11 comentários:

José Marcelino Martins disse...

Este Joaquim não para de me (nos) surpreender.

Com que então há muito barulho nos encontros?

Claro. Por isso é que o próximo almoço será no dia da Maioria Silenciosa (lol), para ser mais calmo?

Anónimo disse...

Ó Zé Martins, há mais gente na sala sem ser o pessoal da Tabanca do Centro... E a responsabilidade da frase não é do Joaquim, é minha...
Abraço. Miguel Pessoa

Anónimo disse...

Oh Martins, tem lá calma pá, as datas não têm culpa e como diz o Miguel e bem em meu entender, agora é a época de "encher chouriços" e depois podes crer que a maioria junta-se e sendo ordeira é bastante barulhenta de tal forma que as coisas são pedidas entre o princípio e o fim da mesa por telemóvel, como o Miguel documenta e eu subscrevo.

Desta vez não mereces, mas antes de te desancar mando-te/mando-vos um abraço.
BSardinha

J.Belo disse...

Barulho nos encontros? Prometo que vou estar bem caladinho a saborear o COZIDO, como algo de sagrado que é. Aquele abraco!

Joaquim Mexia Alves disse...

Barulho???

Eu não ouço nada, levo sempre os tampões para os ouvidos!!!!

Só se for o barulho das luzes!!!

Vem mas é almoçar "ca gente" ó Zé Martins, e logo "bês"!!!

E tu também ó Zé Belo!

Abraços

Humberto Reis disse...

Por motivos profissionais, ainda não me é possível ir aos encontros "BARULHENTOS" de Monte Real. Bem que gostaria, mas não perdem pela demora. Continuem com a boa degustação, com muita pena minha. Ainda por cima o Miguel coloca aqui uma foto de Sesimbra. Que inveja me faz aquele mar tão bom. É mais fácil ir a Sesimbrs (num fim de semana) do que a Monte Real. Cada coisa a seu tempo. MUITO BOAS FÉRIAS para todos.
Um abraço

Humberto Reis

Santos Oliveira disse...

Com um sítio para fazer férias, como nos reproduz a foto, quem se preocupa com o ruído?

A todos as melhores férias (aqui, ou ali) com o abraço do

Santos Oliveira

Anónimo disse...

Camarigos, isto assim não pode ser!

O senhor que se auto intitula de Editor ( o homem escreve editor com letra grande, tal é o tamanho do seu "ego"), vem para aqui usar o "K", como se os nossos encontros sempre de pureza elevada, garanto-vos,fossem comparáveis a encontros de um período que teve o seu curso e onde os "Kamaradas" barafustavam por tudo e por nada e pasme-se, votavam de braço no ar quando era necessário discutir a quem servir em primeiro lugar a jarra do vinho!
Depois o mesmo senhor Editor, sábio em montagens espúrias, trunca as fotos tiradas com maquineta do tamanho de uma moeda de três cêntimos, ao que consta adquirida em MosKovo, e põe-me em Konversa com o Kamarada KJuvenal apenas e só para me Komprometer!
Mas não se fica por aqui!
Sabedor do meu amor acrisolado pela praia mais bonita de Portugal- o meu Buarcos lindo - termina a sua recensão, colocando uma fotografia de Sesimbra para me provocar!
Corro o risco de me repetir, e pago bem pago a minha frontalidade quando digo que perdi a picheira de vinho para os Kamaradas.
Picheira ganha, picheira perdida, não passamos disto, motivo pelo qual peço a quatro camaradas que a nós se juntaram em comentários mais ou menos envergonhados, Joseph Belo, Zé Martins, Humberto Reis e Santos Oliveira ( por ordem alfabética, segundo o novo acordo)que venham verificar " in su sítio" se a picheira do tinto foi ganha ou foi perdida e por quem?

Um adeus e até ao meu regresso a todos os Camarigos e Kamarigos!

Vasco Augusto Rodrigues D'A Gama

Anónimo disse...

Senhor Almirante
Realmente não havia nexexidade de Vª Exª me dirigir aqueles remokes em comentário feito neste blogue. E são injustas as suas palavras sobre o meu ego inchado, quando o que está inchado é o meu corpinho! E quando refere a minha mania de escrever “Editor” atribui-me uma responsabilidade que não me compete mas sim ao editor do blogue da Tabanca do Centro, cumprindo este aliás o estipulado em qualquer acordo ortográfico – velho ou novo – que considera a regra de se iniciar qualquer frase com letra maiúscula.
Vem Vª Exª referir publicamente a falta de picheira que sentiu no decorrer do referido almoço. Qualquer pessoa lhe poderia dizer que essas são situações pontuais que podem ocorrer com qualquer um em qualquer lugar, mas que por norma voltam rapidamente à normalidade. Aliás, segundo Vª Exª terá referido, logo ali o seu problema terá sido resolvido – o que muito prezo.
Finalmente, põe Vª Exª em causa a qualidade da bela praia de Sesimbra, em comparação com o seu areal de Buarkos, que nas marés vivas mais se assemelha à Ribeira do Porto em altura de cheias!
Por respeito à memória do seu tetratetravô, mui considerado em toda a nação, não desembainho a minha G-3 (até porque não tenho), antes preferindo utilizar este diálogo sereno para lhe referir quão injustas foram as palavras que lhe ouvi (bom, não ouvi, que as li no blogue – mas isso agora não interessa nada!).
Com contenção
O editor da Karas (M.Pessoa)

Anónimo disse...

Senhor EDITOR,

Claro, estão feitos um com o outro! Diz Vª Exª que não escreveu Editor e que tal epíteto ou qualificação lhe havia sido atribuída pelo Chefe da Tabanca do Centro, imerecido, na minha modesta opinião. Estão os dois feitos, já se vê, e o tal "de chefe", assoberbado por outros interesses de fim de semana, cala-se...moita carrasco, como dizem os intelectuais!
Depois de alguns considerandos sem qualquer interesse, á falta de argumentação capaz, mete-se com a "minha picheira"...(sic)
Saiba Vª. Exª. que quando o material vinícola é de qualidade a picheira enche e vaza em menos de um minuto e quem me dera poder saborear o precioso néctar sem tanta fogosidade, sem tanta impetuosidade, mas o tempo urge e o físico já não se compadece com esperas...
Se Vª. Exª. não possui "G3", eu cá não uso "Kalasch" e apenas num ponto estaremos de acordo:com correção discutir os assuntos que vão aparecendo, apesar de a ausência dos estatutos que aguardam publicação, desde a fundação do nosso movimento, tudo permitirem...
Peço-lhe apenas que me trate ou pelo meu nome ou por "Meu Almirante" pois isso de "senhor Almirante" cheira-me a Kamaradagem perigosa. Dar-lhe-ei no entanto a possibilidade de "colorir" o meu título honorífico.
Grato, senhor editor,

Vasco Augusto Rodrigues da Gama

P.S. Sesimbra versus Buarcos ficará para outra altura.

Anónimo disse...

Ex.mo Almirante Vermelho

Perdoar-me-á que não o trate por “Meu Almirante”, como desejaria, mas o facto é que na realidade não temos afinidades nessa área: eu, porque pertenço a um outro Ramo das Forças Armadas; Vª Exª, porque o mais próximo que esteve da água (que foi quando poderia ter molhado os seus pezinhos) foi quando o mar extravasou terra adentro e invadiu as esplanadas e jardins do seu bucólico Buarcos, este mais parecendo então Veneza na maré alta.

Claro que, recolhido Vª Exª na torre de menagem do seu castelo, tudo isto lhe terá passado despercebido. Vai então de malhar em quem o rodeia, nomeadamente em gente de outras bandas que deveria merecer-lhe a maior consideração.

Dadas as limitações que Vª Exª terá já detectado no modo como eu edito a venerável revista “Karas de Monte Real” que o camarigo Joaquim Mexia Alves permite alojar no seu estimado blogue, desafio-o a que contribua com escritos seus para assim aumentar a qualidade desta publicação. Dar-lhe-ei todo o apoio possível nesse sentido, quer na disponibilização de espaço quer no apoio gráfico aos seus textos (mesmo sabendo da baixa consideração que tem pelas minhas “colagens”).

Mesmo assim, cumprimentando Vª Exª

O editor da revista Karas (M. Pessoa)